Paulo Camelo

Poesia é sentimento. O resto é momento.

Áudios

Cardiodesabafo
Data: 04/08/2006
Créditos:
Título: Cardiodesabafo
Autor: Paulo Camelo
Voz: Paulo Camelo
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Cardiodesabafo
O coração: - “Talvez eu já não seja
o que me imputam ser: órgão do amor.
Talvez eu só consiga sentir dor
e nem da solidão eu me proteja.

Eu sei que sou vital, mas sentimento
é outra história, não é mais comigo;
é coisa pra neurônio; não consigo
agir melhor. Eu sou assim. Lamento.

Esse negócio de que desamor
agride o coração é apenas mito,
e parem de chamar-me de órgão-rei.

Sou nada mais que um órgão sofredor
e não serei jamais - eu acredito -
o amante que já fui. Já não serei”.

20/03/2006
Enviado por Paulo Camelo em 05/05/2006

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras