Paulo Camelo

Poesia é sentimento. O resto é momento.

Áudios

Ao açoite do vento
Data: 13/08/2006
Créditos:
Título: Açoite do vento
Autor: Paulo Camelo
Voz: Paulo Camelo
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Ao açoite do vento
Vento vai... vento vem... sou escravo do vento,
ansioso que sou pr’encontrar meu amor.
Corro solto e veloz, onde esteja, onde for,
à procura de quem me emprestou sentimento

e magia na escrita e no amor ao relento,
onde o céu guarda o sol quando vem o alvor.
Dia e noite eu procuro o meu bem com fervor
esperando que volte na barra do vento.

E no meu procurar eu me entrego ao prazer
de escrever um soneto, uma trova ou sextina
e me deixo embalar no melhor pensamento.

Eu quisera esse vento me faça viver
uma vida de amor, com carícia tão fina,
ou me deixe que morra ao açoite do vento!
Enviado por Paulo Camelo em 20/04/2005

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras