Paulo Camelo

Poesia é sentimento. O resto é momento.

Textos

O azeite e o ronco

Um azeite melado povoou meu ser.
(Rommel Werneck)


Eu fiz um feijão, misturei com arroz,
farinha e azeite e um pedaço de charque.
Comi feito um louco, mas, antes que encharque
por conta do azeite que eu pus bem depois,
tomei um Engov (melhor: tomei dois)
e fui pra varanda, de pernas pro ar.
Contei carneirinhos, pro sono chegar,
mas não consegui outro ronco conter.
Um azeite melado povoou meu ser
e então galopei lá pra beira do mar.

Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 23/11/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras