Paulo Camelo

Poesia é sentimento. O resto é momento.

Textos


A rede na varanda

Na rede, na varanda, eu miro esse horizonte
e vem-me a sensação do meu dever cumprido,
o tempo já passado eu lembro, eu não olvido
a dúvida de ver-me atravessando a ponte.

A rede na varanda instiga-me que eu conte
as horas de tensão que então eu hei vivido
ao me sentir feliz – ou infeliz... duvido! –
olhando uma vez mais a linha do horizonte.

Esse horizonte agora eu guardo na lembrança
enquanto espero o dia, enquanto aguardo a hora
em que não mais será senão doce memória

envolta em sentimento a linha que ora dança
em meu nublado olhar... e o peito então me manda
uma vez mais deitar na rede na varanda.

11/09/2012
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 05/06/2014
Alterado em 05/06/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras