Paulo Camelo

Poesia é sentimento. O resto é momento.

Textos

Flor de Lis
Quem me dera em teu braço, em teu ombro, um amparo,
um momento sequer de carinho, atenção!
Quem me dera tocar esse teu coração,
ó formosa mulher, Flor de Lis, vaso raro

a guardar o perfume, o extrato mais caro,
e que pode quebrar, se te lanças ao chão!
Flor de Lis, és a luz do meu ser, a visão
do infinito! E, se eu posso adorar-te, não paro

e vou mais declamar os poemas que eu fiz
e que ainda farei, a jogar contra o vento
e seu eco escutar... És o mundo pra mim!

Ouve o meu palpitar, o meu peito, que diz
que algum dia eu esqueça esse meu sofrimento
e te faça o meu céu, meu início, meu fim!

07/08/2010
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 07/08/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras